Feeds:
Posts
Comentários

 

Hoje logo pela manhã, fui recepcionada com um “Feliz dia da mulher!”. Minha resposta foi agradecer, apenas por educação, pois minha vontade era começar um discurso revoltado. Por quê eu deveria ficar feliz com isso?! Ficar feliz pelo fato da sociedade separar um dia para “homenagear” as mulheres? Digo mais: homenagear pelo quê?! Por batalharem durante séculos por direitos iguais e até hoje não conseguirem? Por serem discriminadas e tratadas piores que animais em determinadas culturas? Isso é ridículo…

Se a argumentação lúdica fosse realmente verdade, por quê a recíproca não é verdadeira? Por quê não existe o dia do homem? Qualquer pessoa com um pouco de senso crítico é capaz de reparar nos personagens de certas datas simbólicas: índios, consciência negra, aposentados, árvores… Todos sofreram/sofrem certo tipo de opressão, abuso ou agressão. Daí a sociedade resolve destacar um dia do ano para ressaltar a importância de cada um, como se amenizasse toda história. 

Dia 08 de março é comemorado por muitas mulheres que nem ao menos sabem a origem da data: relacionada a um incêncio numa fábrica têxtil onde mais de 100 mulheres morreram durante uma manifestação por melhores salários e condições de trabalho. Lindo o motivo da data, não?

A celebração do 8 de março só comprova a opressão que ainda persiste contra as mulheres. Enquanto existir essa data a mulher será vista como inferior, digna de ter um dia para “lembrá-la”. Pois bem, agora você poderia aparecer com o seguinte argumento: “se fosse assim, teria uma conotação negativa comemorar dia das mães, dos pais, natal…!” . Respondo-te da seguinte maneira: Quem realmente respeita seus pais, respeita-os e reconhece-os o ano inteiro. Quem realmente é cristão, não vai à missa apenas na noite de Natal. Essa é exatamente a questão.

E claro,  ainda existe o aspecto mercadológico, que jamais seria favorável à extinção do Dia da mulher. 

Fico triste por ver uma sociedade que ainda olha com maus olhos e critica duramente mulheres que usam esmaltes vermelhos, ganham mais que os maridos/namorados/companheiros ou que gostam de assuntos considerados “de homens” como carros, futebol, bebidas ou até mesmo sexo, chegar hoje e sair comemorando com um sorriso estampado na cara essa data. Sinceramente? Dispenso os parabéns, e confesso que ficaria muito mais satisfeita se o dia 08/03 fosse apenas mais um dia de março.

Beijos.

Bonjour Paris!

Fugir do carnaval de Salvador. Esse foi o motivo para começar a planejar a viagem. Faltando 1 mês para a Bahia definitivamente parar (e inchar de tannnta gente e caos) conversei com uma amiga e resolvemos sair da cidade no feriado. Em cima da hora? Hum, para alguns, sim. Para a gente foi tempo suficiente para organizar todo o necessário!

A princípio, ainda sem saber o destino exato, pesquisamos preços em algumas agências de viagens. Confesso que é bem mais prático, mas no final, sairia mais caro. Quando a consultora da agência ligou falando que as últimas vagas haviam sido preenchidas (por outros viajantes!) tivemos que partir para o plano B: organizar tudo por conta própria. Após pesquisas em sites de passagens, conseguimos voos saindo diretamente de Salvador, passando por Madri e finalmente chegando em Paris. E o melhor? Consideravelmente mais barato que o valor repassado pela agência.

Com as passagens em mãos, partimos para o hotel. Inicialmente imaginávamos alugar um apartamento indicado por um amigo. Era perfeito: uma gracinha, novo, bem decorado e bem localizado. O aluguel seria diretamente com a proprietária, que por sinal era super cordial. Qual o problema? Já havia sido alugado para o período. Plano C (rs): outro apartamento ou hotel. Após uns 2 ou 3 dias de pesquisas, achamos no Booking.com a nossa nova casa por 4 dias: o hotel Saphir Grenelle.

Super bem localizado na Rue du Commerce (a apenas 1 quarteirão do Champs de Mars), a 1 min a pé da estação de metrô La Motte-Piquet Grenelle, a rua do hotel simplesmente contava com uma ZARA na frente, MAC na lateral, Mc Donald’s e Monoprix (mercado) na esquina fora outras lojas, como a GAP pelo caminho. Imagina a alegria da loira aqui! 😀 A diária do quarto duplo saiu €65, não incluído o café da manhã, cobrado à parte, de €8. Sinceramente, não acho que vale a pena o café, apesar de ser tudo bem gostoso. A questão é que o café continental (assim denominado) na verdade é um croissant, dois pãeszinhos, um iogurte, suco, café e leite. A nossa opção foi fazer umas comprinhas no mercado e substituir tudo que estava no frigobar! Quanto à estrutura, o hotel nos atendeu plenamente. Limpo, quentinho (tópico importantíssimo no período da nossa viagem!), atendimento legal e seguro. A única desvantagem é que não possui elevador (e acredite, principalmente na volta, descer com as malas bem mais pesadas, deu um pouco de trabalho!).

Dica fundamental para viajantes que não querem pagar táxis (nosso caso!): se for para Paris, vale MUITO a pena se programar para utilizar o metrô durante os passeios. Paris inteira é interligada pelo metrô. Existem estações em todos os pontos turísticos. Antes da viagem, acessei o site da RATP, que é a empresa responsável pelos transportes da cidade. Além de ter várias informações legais, eles disponibilizam o mapinha abaixo. Com ele programamos nossos dias, de acordo com os locais que iríamos visitar e quais as estações e linhas que usaríamos. Essa programação nos poupou MUITO tempo!

Ainda no aeroporto compre o PARIS VISITE. Ele é um passaporte que dá acesso ilimitado ao metrô e ônibus de Paris. Você usa quantas vezes quiser, em quantos trechos quiser, nos dias válidos do passaporte. Excelente não?! Existem versões de 1, 3 e 5 dias. Ah! Ele é válido para o trem que liga à Versailles. Para os demais arredores é necessário pagar a diferença. Apesar de ser possível que você nem seja abordado para apresentar o passaporte no trem, caso o “inconveniente” de estar a bordo sem o ticket ocorra, é necessário pagar, além da diferença é claro, uma multa (não não, eu fiz tudo direitinho e não sei te dizer nem o valor da tal multa! rs).

Dica fundamental 2: Leve dinheiro trocado desde o Brasil. Tivemos um sério problema na chegada porque levamos apenas notas altas. Devido ao horário que chegamos, não conseguimos pegar o banco que existe no aeroporto aberto, e as casas de câmbio simplesmente se recusaram a trocar as notas. Foi o susto da viagem. Tentei até mesmo comprar perfumes no aeroporto, pensando que conseguiria troco, quando me informaram que o troco máximo padrão em Paris é de €200, €250! Só solucionamos a situação comprando o Paris Visite no cartão de crédito e trocando as notas no Monoprix próximo ao hotel. Após o perrengue da chegada, foi só alegria! E frio! Muiiito frio! Oficialmente pegamos 0ºC, mas com certeza pegamos menos que isso pela manhã.

Passeios: programe-se! É muuuuuuuuita coisa para ser vista! E ainda existem passeios (como o Louvre ou Versailles) que demandam muito tempo. Se você não for organizado, vai acabar perdendo de ver muitas atrações. Para compras, separe um dia específico e não deixe de ir às Galerias Lafayettte. É um verdadeiro paraíso para pessoas compulsivas como eu! 😀 Dica importante: não compre lembrancinhas nos próprios pontos turísticos. Deixe pelas ruas dos caminhos, na Rivoli ou na própria Lafayette. É brutal a diferença de preço.

O único alerta que deixo, pulando aqueles óbvios como cuidado com bolsas, etc, é com relação a ida à La Geode. O lugar em si é bem legal. O ruim é o caminho: existe apenas 1 linha de metrô que vai até lá, sendo esta a mesma para interligar toda a região. Resumo da situação: metrô extremamente cheio, uma sensação de insegurança bem maior que nos outros bairros, a estação em si é a mais distante do ponto turístico (pelo menos dentre os que visitamos) e o bairro em si é nitidamente menos seguro. A sugestão é, se quiser ir, tente chegar em horários de bastante movimento. Não deixe para sair de lá muito tarde.

Bom, bemmm resumidamente, é isso! Estou à disposição para qualquer dúvida! Para encerrar, vou deixar alguns links que usamos:

Hospedagem: www.booking.com

Passagens: www.mundi.com.br

Transporte em Paris: www.ratp.fr

Meteorologia Paris: www.meteo-paris.com

Informações gerais: www.conexaoparis.com.br

Beijos!

Reformulando o blog

Image

Oioi,

Definitivamente, faz muito tempo desde a última postagem… Muitas coisas mudaram desde então: algumas mudanças já estavam começando na época (como a mudança de cidade, novo emprego), outras vieram com o tempo, como fim de relacionamento, viagens, perdas queridas, pessoas novas, adoção de um pet… Mas esse é o ritmo da vida, não? Mudança. Essa é a única constante.

A idéia é aos poucos, voltar com o blog. Provavelmente quem acompanhava o Chocollatte antes sentirá algumas diferenças. É normal, afinal, mais de 1 ano se passou! Alguns temas serão mais abordados que outros, novos temas surgirão, e alguns outros devem ser deixados de lado.

Um tópico que não aparecia no Chocollatte e que (espero!) terá espaço garantido aqui será VIAGENS. Este ano tive uma esperiência ótima, e pretendo repetir a dosagem tão logo puder! Cada viagem será comentada aqui! A primeira será no próximo post (aguardem cenas do próximo capítulo! 🙂 ).

Bom, para o primeiro post de retorno, é isso! É bom estar de volta…

Beijos!

Tirinhas!

Mulher de 30:

Um sábado qualquer:

Sempre bom!!!

Beijos!

Estar em uma cidade nova, onde tu não conhece ninguém tem lá suas vantagens. Tu acaba procurando programas alternativos, que muitas vezes são coisinhas simples, mas suuuper legais! Desde a mudança não estava tendo muito tempo para curtir um pouco minha casa nova. Hoje eu tive a chance: programação de sexta: se esparramar no sofá, separar um filme gostoso e comer pipoca! Seleção? O diabo veste prada e Banquete de amor!

Beijos!

Verão é sinônimo de cores, peças leves e alegres. Inspirada por essa idéia, a Dress to está lançando uma coleção linda, chamada Memórias. Saias rodadas, macaquinhos, leves transparências vão estar misturadas com peças de tendência militar. Aqui em Salvador, a loja ainda estava na liquidação da coleção La Bohème, mas falta pouco para a nova coleção chegar. Por enquanto, agente vai se encantando com algumas fotos já divulgadas…

 

Beijos!

Inspirações…

Sabe aqueles dias típicos de inverno, que tu olha para a janela e vê tudo esbranquiçado de névoa da chuva e tudo que tu mais deseja é ficar dentro de casa embaixo de alguma coberta bem quentinha lendo ou assistindo alguma coisa sobre aquele tema que tu mais gosta? Hoje está assim. Nada de anormal, se não fosse o fato de eu estar em pleno litoral nordestino, que é conhecido no mundo inteiro pelas suas praias e temperaturas altas…vai entender! Rs…

Enquanto isso, fiquei aqui bisbilhotando alguns arquivos que tenho sobre design de interiores e resolvi compartilhar com vocês um pouquinho:

Lindos não?

Beijos!